A CIDADELA E A ALCÁÇOVA
 

A Cidadela e a Alcáçova, Iniciaremos o nosso percurso por Olivença visitando primeiro o traçado da primitiva cidadela medieval, que o Rei Dom Dinis, em inicio do século XIV, reconstruiria sobre os restos da que foi primitiva fortificação templária, sendo estas obras realizadas sob a orientação de Pedro Lourenço de Rego, segundo consta numa lápide com data de 1306.

Esta primitiva cidadela disponha de quatro portas, formada cada uma delas por dois cubos em pedra e um arco. Actualmente conservam-se em relativo bom estado duas delas, a Porta de São José ou Alconchel e a dos Anjos ou Espírito Santo. As outras duas tinham os nomes de São Sebastião e Graça. O primeiro recinto contava ao todo com catorze torres, com muros de três metros de largura e doze de altura.

Dentro desta cidadela encontrava-se o alcáçova, mandado construir pelo Rei Dom Afonso IV, em 1334, conhecido hoje popularmente como “O Castelo” e que, em 1488, seria ampliado graças à construção, por ordem de Dom João II, da Torre de Menagem.

A Torre pode ser visitada e desde ai obtemos vistas panorâmicas sobre a Vila de Olivença. É a mais alta de todas existentes na fronteira, com 37 metros de altura; possui também 17 rampas para chegar ao seu terraço, dispõe ainda de um fosso inundável que circunda o edifício militar. Dela nos deixou completa descrição gráfica Duarte d'Armas no seu famoso Livro das Fortalezas, de 1509.

Realizado este itinerário pelas diferentes construções tipicamente defensivas oliventinas e conhecidas as origens dos edifícios medievais mais emblemáticos da Vila, a cidadela, a alcáçova ou castelo, seguimos para o museu etnográfico.



Copyright © 2003 Grupo dos Amigos de Olivença Política de Privacidade